Próximas exposições

Lugares do delírio

Num momento de desafios cotidianos ao que outrora pode ter parecido uma ideia inquestionável de racionalidade – como nos episódios recentes de intolerância que têm produzido violências inadmissíveis em escala local e global –, o MAR inaugura seu programa de exposições de 2017 com uma mostra dedicada ao delírio, força criadora que concerne a todos em sua capacidade política de reposicionar a razão. Se o século XXI tem nos impelido a rever o senso (em especial, o “bom senso” e o “senso comum”), não poderíamos fazê-lo sem reconsiderar também o “dissenso” e o nonsense, aquilo que hipoteticamente não possuiria laços de sentido. A partir dessas indagações, Lugares do delírio foi idealizada há mais de dois anos por seu primeiro diretor cultural, Paulo Herkenhoff. A seu convite, a curadora Tania Rivera propôs uma delicada trama de experiências, obras e projetos que dão a ver formas de resistência e de agenciamento de forças inconformes a modelos de racionalidade.

Dando sequência ao programa Arte e Sociedade no Brasil – eixo curatorial dedicado a aspectos urgentes à vida social no país, como moradia e educação –, esta curadoria de Tania Rivera é resultado de um abrangente projeto de comissionamento de obras. Por meio deste, o MAR fomentou a convivência e a colaboração entre experiências diversas de criação na cidade do Rio de Janeiro, como no programa de residências realizado em parceria com o Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea ou no apoio ao Grupo Arte + Cuidado. Ao mesmo tempo, Lugares do delírio é uma oportunidade ímpar de, sem distinguir usuários e não usuários do sistema de saúde mental, entrecruzar trabalhos de artistas de outras partes do Brasil e do mundo – alguns deles icônicos, como a obra de Fernand Deligny em torno do autismo. Cientes de que a heterogeneidade deste projeto foi especialmente possível dada a rede de colaboração formada em seu redor, agradecemos a todos os artistas, emprestadores, pesquisadores e instituições engajados na construção desses Lugares do delírio.

Às 16h teremos conversa aberta ao público com a presença dos artistas e dos curadores no 2º andar do Pavilhão de exposições. Depois teremos realização da performance In Atto, de Anna Maria Maiolino, no térreo do Pavilhão de exposições. 

Texto curatorial 

Artistas

Ana Linnemann | Anamaria Fernandes e Michel Charron | Anna Maria Maiolino | Arlindo Oliveira | Arthur Bispo do Rosário | Ateliê Gaia – Museu Bispo do Rosário | Bernardo Damasceno | Carla Guagliardi e Stela do Patrocínio | Carlos Bevilacqua | Casa Verde e André Abu-Merhy | Cia. Teatral Ueinzz e Pedro França | Cildo Meireles | Cláudio Paiva | Clóvis | Dias & Riedweg | Dora Garcia | Dudu Mafra | Fernand Deligny | Fernando Diniz | Fernando Lima | Geraldo Lúcio Aragão | Gina Ferreira | Gustavo Speridião | Grupo Arte e Cuidado, Jessica Gogan e Daniel Leão | Hélio Carvalho | João Jordão da Silva | José Bechara | Laura Lima | Leonilson | Livia Flores | Luis Guides | Luiz Carlos Marques | Lula Wanderley | Lygia Clark | Marc Pataut | Marcelo Masagão e Andrea Menezes | Mathilde Monnier | Maurício Flandeiro | Miriam Chnaiderman | Natália Leite | Raphael Domingues | Ricardo Alves Júnior | Rodrigo Paglieri | Solon Ribeiro | Wlademir Dias-Pino 

 
 
  • Ana Linnemann. Cartoon - parte 3, 2017. Col. da artista.

  • Laura Lima. Ascenseur, 2013. Col. da artista.

  • Dudu Mafra. Stultifera Navis, 2014. Col. do artista.

  • Solon Ribeiro. Performance em parceria com os artistas do Atelier Gaia, programa do Museu do Bispo do Rosário Arte Contemporânea. O cortejo, 2016. Col. do artista. Foto: Thales Leite.

  • Solon Ribeiro. Performance em parceria com os artistas do Atelier Gaia, programa do Museu do Bispo do Rosário Arte Contemporânea. O cortejo, 2016. Col. do artista. Foto: Thales Leite.

  • Laura Lima. Novos Costumes,2006/2016. Col. da artista.

  • Anna Maria Maiolino. Performance In Atto, 2016. Foto: Lorenzo Palmieri.

  • Anna Maria Maiolino. Performance In Atto, 2016. Foto: Lorenzo Palmieri.